Kaballah Bits (11)

consciencia796216“O Poder da Kabbalah 2” – 1a. aula

NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA

Estou iniciando uma série de 10 aulas do K2, “O Poder da Kaballah 2”. Resumo abaixo a 1a. dessas 10 aulas.

No K1 aprendemos os principais conceitos da Kaballah, coisas como: Luz Infinita e Receptor, os mundos do 1% e dos 99%, o Oponente, Tikun, compartilhamento, reação vs pró-atividade, etc. No K2 o principal objetivo é melhorar nosso nível de consciência.

As pessoas em geral têm medo de melhorar seu nível de consciência. Isso porque uma vez conscientes não poderemos negar o mal que nossas ações podem causar a nós mesmos e ao mundo à nossa volta. Quem está consciente de seus erros não tem como fingir que não entende suas implicações. Isso significa que a maioria das desculpas para comportamentos inadequados descerão pelo ralo…

Para melhorar o nível de consciência é preciso entender o estágio evolutivo de nosso ego. O Ego, ou se preferirem, “o Oponente”, é muito difícil de ser enfrentado e mais ainda de ser vencido. Portanto, a melhor tática é sempre tentar evita-lo. Não deixe o ego ganhar o controle, pois sempre que isso ocorrer você perderá a parada. Um estado de consciência mais elevado nos propicia fugir das disputas inúteis.

Para começarmos, pouco a pouco, a enfrentar nosso ego precisaremos decodificar e vencer nossos Tikuns. Recordando, Tikun são atitudes, ou situações, recorrentes em nossas vidas, que apontam defeitos a serem corrigidos, ou lições a serem aprendidas. O processo de enfrentamento do Tikun é insidioso, pois o Oponente é um camaleão, que muda de aspecto quando enfrentado. Vamos a um exemplo. Imagine que seu grande Tikun hoje é ser controlador, de tudo e de todos. Quando alguém, ou alguma situação, sai de seu controle você fica com raiva. Aí, tentando domar a fera, procura não controlar as pessoas à sua volta, mas troca a raiva por mágoa… Resolveu seu Tikun? NÃO!!!

O controle do ego passa por diversas fases:

  • Fase 1: Reconhecimento
    O ponto de partida é reconhecer a existência de um Tikun e parar de nega-lo. Reconhecer as várias facetas de seu ego, refletidas nos seus Tikuns, já é uma vitória e tanto. E, diga-se de passagem, não basta reconhecer nossas fraquezas, mas aceita-las, sem medo nem vergonha, conscientes que não serão eliminadas tão cedo, por maior que seja nosso esforço.
  • Fase 2: As Implicações
    Em seguida, é preciso correlacionar nossos defeitos com as reações, inevitáveis, que deles decorrerão. Entender o processo de ação e reação e como isso afetará a nós e às pessoas à nossa volta é um grande desafio.
  • Fase 3: A Queda
    Uma vez que estejamos conscientes do mal que resultará de nossas atitudes erradas e recorrentes, aí a fossa baixa e vamos nos sentir vazios e culpados pelos nossos erros. Essa é a 3a fase da evolução da consciência, a fase da culpa.
  • Fase 4: Criando coragem para mudar
    Ao final da fase 3 chegamos ao fundo do poço e aí só nos resta mudar, que é a 4a e última fase. Ao mudarmos, para melhor, superamos um Tikun e elevamos nosso estado de consciência.

Veja o quanto essas 4 fases se assemelham àquelas por que passa um paciente com uma doença grave, ou alguém que enfrenta um enorme problema em sua vida. As 4 fases são sempre as mesmas. O problema surge e a gente inicialmente o nega. Depois aceita sua existência e considera as suas implicações. Aí a gente se revolta, se deprime, para finalmente aceitar e enfrentar. O caminho é sempre o mesmo.

Pergunta-se: é preciso sempre passar pelas 4 fases, para enfrentar cada uma das múltiplas fraquezas de nossa personalidade? NÃO! Todos temos nosso livre arbítrio e, uma vez entendendo e aceitando esse processo de 4 fases, podemos saltar algumas delas. Ninguém precisa chegar ao fundo do poço, desde que se decida a enfrentar suas fraquezas tão logo as reconheça. Afinal, nenhum de nós nasceu para sofrer…

Normalmente as pessoas passam pelas 4 fases porque desanimam logo que tentam enfrentar seus problemas. Na verdade, como dissemos no início, o desafio não é enfrentar, mas muito mais evitar os comportamentos negativos. Isso é difícil e a evolução é lenta, tão lenta, que às vezes parece que não estamos saindo do lugar. A boa notícia é que não há retrocesso nos estados de consciência. Uma vez atingido um certo estágio não há como voltar atrás. Você pode até não enfrentar seu Tikun, mas você o reconhecerá e isso o incomodará continuamente, até que se decida a enfrenta-lo.

Quando começamos a enfrentar um Tikun nos sentimos no escuro, o que não deixa de ser verdade. Porém, é preciso lembrar que a Luz vem sempre das situações de escuridão e vice-versa (vide Las Vegas, extremamente iluminada e ao mesmo tempo escura do ponto de vista da consciência humana).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s