Uma luz no fim do túnel

Gente, esse é o meu primeiro post pra valer de 2012. Eu brinco com minha mulher que ela é “suíça” (pois ingenuamente acha que tudo vai acontecer conforme prometido e no devido tempo), enquanto eu sou “baiano”. Quer dizer, todos nós brasileiros temos um pouco desse saudável espírito baiano, seja na criatividade, seja na malemolência. Acho que isso explica porque todo início de janeiro me baixa uma preguicinha, que geralmente dura até o carnaval.

Bem, janeiro passou, e fevereiro trouxe de volta minha alma paulista, o que me levou a olhar à minha volta e dar as boas vindas às preocupações.

Só pra variar, o começo de ano no Brasil anda especialmente desanimador. Será implicância minha? Vamos aos primeiros fatos relevantes do Brasil em 2012.

  • As chuvas e as enchentes de sempre, continuam enchendo o nosso saco (de água).
  • Dois babacas fazem racha a 165 km/h e destroem um pobre coitado dentro de uma Kombi. Apesar de terem sido filmados, por várias câmeras, alegam que transitavam a 60 km/h (e o advogado de defesa insiste nisso).
  • Os supersalários do judiciário atingem R$ 500 mil reais e é tudo legal, baseado numa legislação vetusta, corporativista e obviamente “imexível”. Todo mundo acha normal…
  • A greve da PM da Bahia mostra a cara bandida da corporação, com apoio de políticos e líderes de PM’s de outros estados (com direito a gravações mostradas no JN). O mesmo governador que incentivava as greves de PM’s em 2001 tem que reprimir, agora que está no poder (e exatamente por isso não reprime).
  • Jovem tenta defender morador de rua de pitboys no Rio e é massacrado publicamente. O cara quase morre, bota dezenas de pinos de platina e parafusos pelo corpo e, apesar disso, os canalhinhas, filhinhos de papai e filhinhos de uma puta, negam tudo, na maior cara dura. Claro que saem livres, pois são primários…
  • O Adriano continua uma baleia, que mama R$ 500 mil mês dos trouxas do Corinthians. Passa uma semana no CT do clube, “internado” e proibido de voltar pra casa, numa insana tentativa de fechar a boca e a braguilha do cara, na marra. No fim de semana seguinte Adriano é flagrado em balada na favela.
  • A novela Fina Estampa e o BBB12 continuam a esfregar na nossa cara a vocação do brasileiro para a imbecilidade.
  • Alguém resolve fazer uma “reforminha” num escritório do Rio, sem supervisão de engenheiro, e derruba o prédio. Uma semana depois, algo semelhante ocorre em São Bernardo.
  • Uma ponte pega fogo em São Paulo.
  • A Dilminha vai ao nordeste inspecionar as obras da transposição do São Francisco e da ferrovia Transnordestina e ninguém avisa para ela que os trechos a serem visitados estão abandonados, cheios de cabritinhos pastando. A saia justa exige mudança de planos em cima da hora, nas fuças da imprensa. A Dilminha dá uma bronca nos maus gestores, esquecendo-se que ela é a chefa-mór e que até 2010 era a mamãe do PAC.
  • Um tribufu de 1:90m, chamada Graça (o Macaco Simão perdeu essa piada pronta) Foster, assume a Petrobrás prometendo fidelidade incondicional à Dilminha (aos acionistas, nem morta), que retribui chamando-o redundantemente de “graciosa” (!?). Confira.
  • O PT de SP se alia ao Kassab (algo mais ou menos como a Igreja Universal Reino de Deus patrocinar o Café Photo). Mas, se o Serra aceitar ser candidato a prefeito de São Paulo, aí o Kassab se ali ao PSDB.
  • Pra fechar o período com chave de ouro, a reportagem de capa da Veja do último fim de semana mostra o escândalo da linda advogada, Christiane Oliveira, filha do “vidente preferido dos congressistas, que, em declarações à PF, liga o ministro Gilberto Carvalho e o juiz do STF Antonio Dias Toffoli (com quem teve um caso) à máfia do DF (escândalo de derrubou o governador Arruda).

Santo Deus… e eu ainda me espanto. Mas, como nem tudo é merda nesse reino (esquecido) de Deus, eis que de repente um fato isolado me acende uma remota chama de esperança. Quem sabe daqui a uns 200 anos o Brasil se torne um país civilizado. Esse “fato isolado” tem 68 anos e atende pelo nome de Eliana Calmon, nossa “extra-terrestre” ministra-chefe do CNJ. É quase tão feia quanto a Graça Foster, mas nas atitudes, que diferença!

Até há um mês atrás, nenhum de nós tinha ouvido falar da Sra Calmon, apesar dela ter uma carreira brilhantes nos anais da justiça brasileira (professora de direito, juíza, procuradora, ministra do Supremo Tribunal de Justiça e finalmente corregedora-chefe do CNJ). O que de certa forma é animador, pois prova que às vezes alguém investe numa carreira toda uma vida, para colher os frutos no apagar das luzes.

A Dna Eliana, teve “saco roxo” (como dizia nosso ex-presidente Collor), com coragem para abrir a caixa-preta do judiciário brasileiro. No finzinho do ano passado ela denunciou a existência de “bandidos de toga” e foi acusada de quebrar os sigilos fiscal e bancário de juízes e seus familiares. Apesar de todo natural “esperneio”, com ameaças abertas de associações de magistrados e alguns membros do Supremo Tribunal Federal, a ministra documentou tudo em um relatório de 46 páginas e nove anexos e foi em frente, sem dó nem piedade. O resultado da investigação da ministra é assustador:

  • O relatório de rastreamento do Coaf, orgão de inteligência do Ministério da Fazenda, anexado pela ministra, descobriu R$ 856 milhões em “operações financeiras atípicas” (R$ 274 milhões em dinheiro vivo) feitas por 3.426 juízes e servidores no período entre 2000 e 2010!?
  • 45% dos magistrados do Tribunal de Justiça de São Paulo não entregaram suas declarações de renda e de bens de 2009 e 2010.
  • O presidente do Conselho de Atividades Financeiras, Antonio Gustavo Rodrigues, acusa um doleiro de responsável por movimentações atípicas no Tribunal Regional do Trabalho do RJ, no montante de 282,9 milhões de reais!? Vale lembrar que qualquer cidadão que vá a um banco para enviar US$ 5 mil para o exterior é obrigado, por lei, a assinar uma declaração ao Banco Central…

Apesar de todas as evidências, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, manda suspender as investigações da corregedoria do Conselho Nacional de Justiça. O ministro Marco Aurélio Mello, após a última sessão da Corte em 2011, concede liminar que praticamente suspende as atividades da corregedoria. Parece que todo o esforço da corregedora irá por água abaixo…

Até que, na histórica sessão 04/02/12, o STF, por apertada decisão de 6 votos a 5, garante os poderes de investigação do CNJ, reconhecendo a autonomia do órgão para abrir investigações contra magistrados em primeira instância, sem depender de corregedorias locais. A decisão contraria a liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, que tentava fazer valer a tese de que o CNJ só poderia investigar magistrados após processo nas corregedorias dos tribunais estaduais. De quebra, o STF define que todos os julgamentos do CNJ devem ser públicos. Apesar do apertado placar de 6 a 5, podemos considerar que a decisão foi uma goleada para o time da democracia.

Contribuíram para essa surpreendente decisão as corajosas posições tomadas por dois dos ministros do STF: Joaquim Barbosa e Gilmar Mendes. “Até as pedras sabem que as corregedorias [locais] não funcionam quando se trata de investigar seus próprios pares”, afirmou o ministro Gilmar Mendes.

“As decisões do conselho passaram a expor situações escabrosas no seio do Poder Judiciário”, concordou Joaquim Barbosa, nosso candidato a ídolo como relator do processo do mensalão (quem sabe mais um milagre acontece…).

E, quando eu já achava que a decisão do STF sobre o CNJ tinha sido um “soluço”, abro o jornal de hoje e leio que na sessão de ontem, do mesmo STF, a decisão sobre a constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa estava com parecer favorável por um escore de 4 X 1 (fatura praticamente liquidada, dada a posição declarada dos demais ministros).

No mesmo jornal leio que a Dilma Dilma veta todas as emendas parlamentares ao Orçamento e corta R$ 55 Bi. É sabido de todos que as emendas parlamentares se constituem num dos maiores ralos de desperdício de dinheiro público deste país. Em resposta, Lincoln Portela, líder do PR na Câmara, declara: “Se for corte das emendas individuais (no Orçamento), a Dilma bebeu. Se for de emendas de bancadas, a governo também bebeu”. Isso sim é uma declaração típica dos políticos brasileiros…

Meio desconfiado, pulo para a página de esportes, onde a notícia de capa é a possível (auto) demissão do Ricardo Teixeira da CBF, por suspeita de corrupção.

Gente, será que estamos diante de uma inesperada epidemia de honestidade e racionalidade atacando nossas autoridades máximas??? Aí tem… é só esperar pra ver.

Anúncios

Uma opinião sobre “Uma luz no fim do túnel”

  1. Querido Augusto, perfeitoe resumo do nosso cenário..Realmente Eliana Calmon, acalmou os corações (aproveitado o trocadilho) .. resgatando na baçia das almas o que parecia perdido, certamente foi a mulher do ano!!! Abçs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s