Manual do Blogueiro

Meu primeiro post neste blog foi publicado em março de 2008, com o título “O primeiro post a gente nunca esquece”. Desde lá publiquei alguma coisa boa e outras nem tanto. Eu gosto de escrever. Já publiquei um livro (“Ser Humano.com.br”) e muitos artigos em jornal (como autor e como ghost writer). Essa experiência me induziu a achar eu poderia facilmente escrever num blog. Ledo engano!

Quatro anos passados, muitas frustrações depois e algum aprendizado, eu posso afirmar que: ser um (bom) blogueiro não é fácil. A linguagem é diferente, o Google nos expõe “até as amígdalas” e o público está com a arma sempre próxima de nossa cabeça.

Muitas vezes pensei em escrever algo orientando os novos blogueiros. Nunca me animei, pela enorme dificuldade de um post como esse. Até que encontrei o guia abaixo, num dos blogs que eu mais curto, o “Papo de Homem”.  A maior parte das coisas que eu aprendi, a duras penas, e muitas outras que eu ainda não tinha me dado conta, estão lá.

Dando todo o crédito ao “Papo de Homem”, tomo a liberdade de reproduzir aqui a parte mais relevante desse guia. Se eu tivesse tido acesso a essas dicas há quatro anos, quem sabe hoje não teria ainda mais leitores. Espero que vocês aproveitem.

Orientações de conteúdo:

  1. Crie cultura. Ofereça conteúdo inédito, pushin’ the edge, criando tendência em vez de segui-la, evitando comentários (que já recebemos com razão) dizendo que o post é “mais do mesmo”. Não só informe, mas forme as pessoas. Desvie do óbvio, do lugar comum. Pense em algo que dificilmente seria encontrado na mídia tradicional.
  2. Pesquise. Antes de escrever, veja se já não existe algo similar na web (se não for possível inovar no conteúdo, inove na abordagem). Enquanto escreve, busque por pesquisas ou casos que exemplifiquem as ideias. Depois encontre imagens e vídeos ilustrativos: tirinhas, documentários, músicas, fotos, trechos de filmes…
  3. Estruture. Faça de seu texto um percurso. Pegue na mão do leitor e leve-o para algum lugar. Tenha um bom convite inicial. Divida o texto em blocos, se possível.
  4. Seja preciso. Depois do rascunho inicial, releia cortando absolutamente tudo o que não for essencial: ideias duplicadas, palavras muito repetidas, argumentos que saem do foco, adjetivos excessivos, argumentos preconceituosos. Seja objetivo. A cada frase, vá direto ao ponto. Economize o tempo dos leitores.
  5. Fisgue. Antes de começar o texto, logo nas primeiras frases, diga a que veio, explicite a abordagem e conteúdo que o leitor vai encontrar. Quanto mais original for esse gancho, melhor.
  6. Revise, cheque, cheque de novo. Já soltamos textos com informações erradas. Tome muito cuidado com a veracidade de cada afirmação, dado, estatística ou citação.
  7. Desafie. Escreva tendo em mente um leitor muito inteligente. Questione o senso comum, jogue a bola lá em cima, desafie, cutuque, provoque.
  8. Envolva. Pense em como o leitor vai se relacionar com o post durante a leitura e logo após, nos comentários. Pense em como envolvê-los, seja com uma pergunta ou finalizando em tom de provocação.
  9. Seja prático. Trabalhe com a vida real, esclareça conceitos complexos, forneça estratégias acionáveis.
  10. Vá além do texto. Pense em como produzir um vídeo, faça uma pesquisa, entreviste algum especialista, proponha um experimento, movimente as pessoas, grave algo em áudio… Pense em um conteúdo que não se resuma a um post.

Orientações técnicas:

  1. Dê um título. É importante dar um bom título, pois isso faz parte do texto e às vezes até altera o direcionamento e abordagem do discurso.
  2. Escreva na medida. Evite construções muito extensas que acabam confundindo o leitor.
  3. Evite piadas. Em vez de tentar ser engraçado, apenas entregue conteúdo. O humor surgirá naturalmente quando for o caso.
  4. Linke. Se falar de algum conceito, citar alguma pesquisa, mencionar alguma notícia e qualquer outra referência que esteja online, linke.
  5. Dê créditos. Dê créditos para as imagens (com link para a original) e referências para afirmações com base em conteúdos offline (livros, por exemplo).
  6. Interaja. Após a publicação, fique de olho nos comentários, responda alguns, comente outros. Muitos autores não dão as caras depois de publicar. Apareça, discuta, pergunte…
Em resumo, o sucesso de um blog na Internet depende da constante manutenção do interesse do público. É mais ou menos como num casamento: ou você se renova, o tempo todo, ou se separa.
Anúncios

Uma consideração sobre “Manual do Blogueiro”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s