Foco

sena1994Eu adoro essa palavra. Sua simplicidade só é comparável à dificuldade de sua manutenção. Quem tem foco escolhe melhor, vence mais e desfruta melhor a vida. Eu gosto de correr. Recentemente me preparei com cuidado para correr uma prova de 21 kms. No dia fez muito calor. Mesmo assim eu fui bem até chegar na Av. Politécnica, debaixo de um sol escaldante, sem uma sombrinha. Ali eu comecei a quebrar. Analisando meu resultado medíocre o diagnóstico foi: me faltou foco para encarar a Av. Politécnica debaixo do sol. Simplesmente não vivi esse desafio em minha mente, até que trombasse com ele.

A palavra foco tem uma aplicação muito significativa no esporte. Recentemente li um post no blog do Edson Valério, com o título “Tênis VS Frescobol” do qual me permito reproduzir um trechinho:
“O tênis é um jogo feroz. O seu objetivo é derrotar o adversário. E a sua derrota se revela no seu erro: o outro foi incapaz de devolver a bola. Joga-se tênis para fazer o outro errar. O frescobol se parece muito com o tênis: dois jogadores, duas raquetes e uma bola. Só que, para o jogo ser bom, é preciso que nenhum dos dois perca. Se a bola veio meio torta, a gente sabe que não foi de propósito e faz o maior esforço do mundo para devolvê-la gostosa, no lugar certo, para que o outro possa pegá-la. Não existe adversário porque não há ninguém a ser derrotado. Aqui ou os dois ganham, ou ninguém ganha.”

A diferença entre o tênis e o frescobol é que no primeiro o foco é determinante e no segundo não. Na vida real, poucas coisas são como o frescobol, onde os adversários se apóiam para reduzir os erros mútuos. O que não quer dizer que devamos encarar a vida sempre como um jogo de vida ou morte, onde sempre um ganha e outro perde.

Em nosso quotidiano quando perdemos o foco somos derrotados na maioria das vezes não pelos outros, mas por nós mesmos, já que o tempo todo competimos com nossa própria mente, cuja tendência, infelizmente, é sempre nos puxar para baixo.

O esporte é um excelente espelho sobre a vida, em geral. Nas Olimpíadas de Atenas o volley feminino do Brasil disputava a semifinal com a Rússia e estava na frente, com o placar em 24 a 19, mas acabou desperdiçando seis match points e incrivelmente perdeu o jogo. Faltou foco, foi o diagnóstico do técnico José Roberto Guimarães, que se redimiu brilhantemente quatro anos depois em Pequim. Na vida nem sempre temos a segunda chance. Muitos não se casam, não se formam, não são promovidos, não realizam seus sonhos por pura e simples falta de foco.

Mas, como meu bom e velho pai dizia, “chega de problemática e vamos à solucionática”. A pergunta de 1 milhão de dólares: é possível nos mantermos o tempo todo focados? Como? Não é simples, mas é sim possível. O foco está relacionado à consciência com que escolhemos o que queremos e à capacidade de vivermos antecipadamente dentro de nossas mentes as situações críticas a serem vividas. Isso requer exercícios.

Nós não conseguimos manter o foco se titubeamos. E nós titubeamos quando não planejamos antecipadamente o caminho que será percorrido. Vocês se lembram do Ayrton Senna de olhos fechados, momentos antes de sair para ganhar a pole position no último minuto do treino? Perguntado sobre o que pensava, ele respondia que estava “vivendo a volta rápida, em cada curva, em cada detalhe, dentro de sua mente”. Quando ele largava restava apenas executar seu ensaio mental.

Anúncios

2 opiniões sobre “Foco”

  1. Verdade, foco é fundamental e exercitado (ou exercitável).

    Só penso diferente em uma coisinha, no exemplo do tênis e do frescobol, quanto ao fato de no primeiro o foco ser determinante e no segundo não. Acho que nos dois é determinante, sendo que no primeiro o foco é no erro; no segundo, o foco é no acerto.

    Aliás, acho que o mundo funciona muito mais olhando para o erro que para o acerto. O que influencia diretamente onde se coloca seu foco. Mas essa é outra discussão… que se solucionaria com a “consciência com que escolhemos o que queremos e à capacidade de vivermos antecipadamente em nossas mentes”. As pessoas “normais” em teoria escolheriam acertar (vencer), o que parece mais difícil é o exercício dessa consciência.

    Besitos

  2. Quando vc decide manter o foco em algo não tem como aquilo não se realizar, parece que todo o universo converge para aquilo. Excelente post!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s