Os Seis Patetas

3patetas_moe3patetas_larry3patetas_curly3patetas_joe3patetas_shemp3patetas_curlyjoe

Saudades das comédias pastelão. Para quem como eu gosta desse tiop de humor, nunca mais haverá ninguém como os Três Patetas, que na verdade eram seis. Eles estiveram em atividade entre 1930 e 1970, com cinco formações diferentes. A formação mais conhecida e idolatrada pelos fãs eram Moe (o “mais inteligente”, tipo esperto e chefe dos outros dois), Larry (o careca cabeludo, tipo maestro, e também o mais trapalhão) e Curly (o de cabeça raspada, gravatinha borboleta e o mais burro dos três). Não menos importantes e criativos, havia também Shemp, Joe e Curly Joe (que muitos confundem com Curly, porque também raspava a cabeça e usava gravatinha, não borboleta, mas de texano), os outros Patetas.

Quando eu já estava conformado em nunca mais gargalhar com os “Seis Patetas”, que infelizmente já há algum tempo só fazem suas trapalhadas para Jesus Cristo, eis que surgem outros seis, ainda mais ridículos e trapalhões que os originais: Chaves, Correa, Morales, Kirschner, Zelaya e claro, o chefe, o mais “esperto” de todos, Lula, o “salvador da pátria”. Devo dizer que só saquei a feliz e divertida coincidência lendo o Nelson Motta, que só identificou três dos novos patetas (Chaves, Morales e Correa). Acho que o Nelsinho, de quem sou fã, estava distraído.

Os Seis Patetas latino-americanos são tão engraçados e idiotas quanto os norte-americanos. Mas, apesar de terem sido lançados ao sucesso em pleno século XXI, são muito mais antiquados que seus sósias dos anos 40 do século XX. Os patetas “modernos” não acreditam em livre iniciativa e querem reestatizar tudo. O mais idiota dos seis, mas nem por isso mais engraçado, Chaves (prefiro o original mexicano), na verdade já  estatizou quase tudo na pobre Venezuela. Eles se acham mais espertos que o Kremlin e Mao e acham que estão inventando uma forma mais criativa de socialismo, à qual batizaram de “bolivariano” (quem foi que disse que o pobre do Simon Bolívar era socialista???).

Enquanto os Seis Patetas (para sermos justos deveriam ser sete, pois os Kirschners são dois) destroem o judiciário e o legislativo, deixam apodrecer a infra-estrutura, amordaçam a mídia, estimulam a violência e o radicalismo, o povo dorme, o povo ronca, feliz pela migalhas recebidas, pela sombra proporcionada pelo estado paizão e pelos empregos gerados pelas empresas que mamam nas tetas governamentais (BNDES ora pro nobis, taxas de importação nos protejam). Ricos e pobres, coniventes, querem que o resto se exploda.  E, cedo ou tarde, vai acabar explodindo mesmo.

Enquanto isso, no resto do mundo, podem incluir aí China, Índia, Rússia e, pasmem, até Vietnam, a abertura, a livre iniciativa e a competição saudável, crescem a olhos vistos. Quase tudo que compramos com selo americano está na realidade sendo produzido e exportado por um desses países “da franja do mundo”, que um dia também já foram patetas e acreditaram em riqueza gerada sem trabalho, sem esforço coletivo, apenas se deitando em berço esplêndido e esperando que o pré-sal faça o resto por nós. Que Deus nos proteja dos patetas e de nós mesmos, que um dia (só mesmo Deus sabe quando) ainda vamos acordar, infelizmente um pouco mais pobres e burros que o resto do mundo.

Se você nunca assistiu aos 3 Patetas, confira um trechinho e compare com as réplicas cucarachas, infelizmente muito mais tristes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s