Um turista acidental em Portugal (4. O Porto e as sardinhas na brasa)

A Cidade do Porto, inesquecível (especialmente para os comilões


A cidade do Porto é linda. É moderna e antiga ao mesmo tempo. Num dia bonito, comece o passeio pelo Cais da Ribeira, com o tour das 6 pontes. Em 45 mins você navegará pelo Douro nos dois sentidos; num deles o passeio nos leva até a foz junto ao Oceano Atlântico. De um lado você verá Gaia e do outro a Cidade do Porto. Depois do passeio caminhe  pelo centro antigo, a partir do cais, em direção à estação de trens. Tudo que interessa fica entre o cais e a estação (Palácio da Bolsa, Museu do Vinho do Porto e várias igrejas espetaculares).

Do lado da estação tem uma lojinha de queijos da Serra Estrela, fresquinhos e baratésimos. Eu trouxe um na mala (é proibido) e passei sem problemas (exceto o cheiro… tive que botar tudinho pra lavar). Chegou inteiraço. Coloquei na geladeira até endurecer a massa. Depois cortei em pedaços, enrolei em papel manteiga, coloquei os pedaços dentro de saquinhos ziplock e congelei. Para comer, descongele na geladeira e tire umas duas horas antes de servir. Com um pãozinho italiano crocante e vinho do Porto é algo muito próximo do paraíso!!!

Voltando à Cidade do Porto, de noite atravesse a ponte Dom Luis (você a vê no cantinho à direita da foto acima) e vá até Gaia. Bem em frente ao centro histórico do Porto, na Av. Diogo Leite, você verá uma restaurantezinho de vidro, que parece um vagão. O nome é D. Tonho Gaia (cuidado, pois existe outro D. Tonho no Porto). Não dê bola para o aspecto de boteco e o serviço ruím. A vista é um show (o restaurante fica encostado no rio Douro olhando o skyline da Cidade do Porto) e a comida maravilhosa. Entre os pratos fantásticos, destaque para Robalo ao Sal, a Cataplana de Peixe, variados pratos de bacalhau e Arroz de Pato à Moda Antiga (esse eu comi… de tirar o fôlego). De entrada peça o Camarão Tigre com molho picante (de babar, crocante, imenso) e na sobremesa o Queijo Niza (uma iguaria regional, uma variante do Serra Estrela, raro, dificílimo de achar) com vinho do Porto (nós tomamos uma Calem Tawny 40 anos e um Kopke Tawny 20 anos… difícil dizer qual estava melhor).

Um outro programa imperdível é ir comer sardinha na brasa em Matosinhos (Av. Serpa Pinto) no Porto de Leixões. Todos os restaurantes são fuleiros, a maioria com a churrasqueira (grelha) na calçada. Não tenha mêdo, pois as sardinhas são fresquinhas. Peça simplesmente sardinhas na brasa com um Alvarinho branco geladinho e caia de boca. Pra quem é nojento não recomendo (peça uma caldeirada, ou um peixe qualquer na brasa). Você terá que abrir as sardinhas inteiras, limpar as espinhas e tirar a cabeça. Vale o esforço. Nós pedimos sardinha para três. Vieram umas 25 unidades numa travessa. Meu genro comeu uma (nojento) e minha mulher comeu zero, quase que foi esperar a gente lá fora (nogentésima). Eu comi umas oito… não comi mais de vergonha.

Perto do Porto fica a cidade de Guimarães, berço da nação portuguesa. Dizem que é um lindo passeio (45 mins de carro). Eu não fui por falta de tempo.

Por último, se for comprar vinhos, não perca tempo. O lugar é a Garrafeira Tio Pepe. O dono é gentilíssimo, sabe tudo de vinhos e gosta do Brasil. Peça caixinhas de isopor pra proteger os vinhos (ele vai dizer que não tem, aí você diz que então não vai comprar e as caixinhas aparecem). Mas, este não é um post sobre vinhos. No próximo, e último da série, vou falar dos vinhos portugueses (inclusive do Porto). Me dêem uma semaninha para arrumar mais algum tempo. Entre uma blogada e outra tenho que trabalhar um pouco, pois a tal da crise não está de brincadeira…

Anúncios

2 opiniões sobre “Um turista acidental em Portugal (4. O Porto e as sardinhas na brasa)”

  1. Muito boa a sequência. Mistura de muitas verdades sempre contadas num tom de diversão. Realmente ler nos motiva a tentar alternativas locais nos fins de semana. Sempre faço o Serra da Estrela, com pão italiano do bom e acompanhado de um belo Amarone….Fica ótimo também.

  2. Oi, Augusto!

    Finalmente, consegui me atualizar das aventuras gastronômicas e etílicas portuguesas! O problema é que me deu uma fome…

    Portugal, e Espanha também, tem essa coisa da comida ser extremamente simples e ao mesmo tempo divina.

    Agora estou esperando o próximo, dos vinhos, já li lá atrás, em um dos primeiros posts, que rolou um Pera Manca. Acho que é meu favorito portuga, mas isso sempre pode mudar.

    Besitos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s