Comer bem é muito relativo (I)

O título tem a designação (I) porque certamente voltarei ao assunto no futuro. Eu não me considero um gourmet, mas definitivamente sou um glutão. Adoro comer e beber (tudo, menos água). Passo fome a semana inteira, malho que nem um desesperado de 2a a domingo, só pra poder cair de boca nos finais de semana. Sexta-feira após as 18 hrs minha porteira se abre. A partir daí, caipirinhas, pizzas churrascos, massas fartas, vinhos, pães (eu adoro pão com manteiga) e outras delícias são amplamente bem vindos. Às vezes ganho dois quilos num final de semana (que a seguir tenho que perder), mas vale a pena. Pra complicar ainda mais minha vida, tenho um genro “boca grande” (pior que eu), que é meu “companheiro de crime”. Quando nós viajamos juntos (o que aliás faremos na próxima semana) o roteiro é sempre gastronômico. Escolhemos roteiro em função dos restaurantes.

Toda essa introdução é apenas para estabelecer minha credibilidade como comilão. Quem come bem, não aceita generalidades. Acho estúpido dizer: “o restaurante X é o melhor da cidade”. Melhor pra comer o que? Cada lugar tem sua especialidade. Com certeza você não conseguirá comer um pão na chapa com pingado no Fasano, como come na padaria da esquina. Assim, minha lista de lugares para comer bem vem qualificada com “o que comer”.

Vou repartir com vocês a minha lista favorita de lugares para comer bem alguma coisa. São lugares em São Paulo, ou arredores. Podem ir na confiança que não vai ter furo.

  • Costela de vaca à gaucha com pupunha: Rodeio (esquece o Fogo de Chão… não chega aos pés).
  • Ojo de Bife com farofa de pão crocante: Arturito (o novo restaurante da grande Paola Carosella).
  • Cordeiro assado que desmancha no garfo: também no Arturito
  • Inhoque com queijo Fontina, pra comer de colher no prato fundo: Vechio Torino (tenham paciência com o dono que é um pentelho; a carta de vinho é um assalto).
  • Perninha de cabrito assada com brocolis e batatas coradas: Il Sogno di Anarello.
  • Feijoada: experimentem a do La Tambuille (surpresos?), se quiser gastar legal, ou a do Churrascos, se quiser economizar. Ambas são ótimas.
  • Costela de vaca no vinho: Ici Bistrô (num sábado de sol, peça um lugar na varanda).
  • Cavaquinha do Antiqurius. Vale a pena aguentar a caretice desse restaurante quefaz jus ao nome, pra degustar essa maravilha. Pra melhorar o astral, após o jantar suba para o mezannino pra tomar o cafezinho com uma Amarguinha (licor português) e ouvir um pianinho maneiro. Lá também dá pra fumar um bom havana. O mezzanino é um antiquário.
  • Posta (grossa) de bacalhau fresco grelhado: Churrascaria North Grill no Shopping Frei Caneca (vale pagar o mico).
  • Sagu com creme inglês (esse é imperdível): Spot
  • Hamburger de calabresa com queijo provolone: Lanchonete da Cidade
  • Hamburger de picanha au poivre com rúcula: Hamburgueria Nacional
  • Merluza negra argentina grelhada: Porto Luna Rubayat
  • Grelhados, em geral, com a melhor carta de vinhos de São Paulo: Jardineira Grill
  • Mexilhões no molho de vinho (no final eu gosto de molhar o pãozinho no molho): Tappo (do mesmo dono do Ici), na Rua da Consolação. Este prato é uma entrada, mas é enorme; vale pedir como prato principal.
  • Ravioli com um molho especial de carne (não lembro o nome, mas é o prato forte da casa): também no Tappo
  • Cuscus de camarão: Amadeus
  • Empanadas (estilo argentino, que é melhor do que o chileno) e sandwichinhos de miga (que você só come igual nos bares de Buenos Aires): no Patagonia (em Moema). Dá pra levar as empanadas pré-congeladas pra casa, pra dar acabamento na hora de comer.
  • Camarão à provençal: La Pailotte, no Ipiranga
  • Leitão à Pururuca: Jardineira Grill (vale a pena ir lá só pra comer o leitãozinho, mas o entrecote argentino também é 10).
  • Pizza: Braz e também a Tal da Pizza (da Mário Ferraz, com música ao vivo, no domingo à noite
  • Caipirinhas: no Totó (Surpresa! É um italiano, mais ou menos, na Vila Olimpia, que faz as melhores caipiras de SP).
  • Hot Dogs: Lanchonete da Cidade
  • Paella: Don Curro
  • Bacalhau, nos mais diversos preparos, além do melhor bolinho de bacalhau do mundo: KM 53 da Castelo
  • Soufle de Goiabada: Carlota
  • Arroz de Pato: também no Carlota (só tem no cardápio no inverno)
  • Carne de Sol com mandioca cozida: Cordel (aqui as caipirinhas também são 10).
  • Bife Ancho com arroz Biro-Biro (de babar): Leoncio, na Vila Madalena
  • Rizzoto de Linguiça Toscana no Vinho: Risoteria Alexandre Segato
  • Arroz, Feijão, bolo de carne, farofa de banana crocante: Dam em Pinheiros, na rua Cunha Gago (às 3as no almoço; nas 4as, também no almoço, imperdível o raviole de queijo com o melhor molho a bolognesa da cidade… não espalhem que o lugar é pequeno e barato).
  • Ravioli com molho de queijo trufado, uma delicadeza: Magari
  • Carpaccio: do Gero (tente pedir o de vitela com molho de alcaparras; saiu do cardápio, mas às vezes tem).
  • Arroz, feijão, couve e pastéis: Ritz (só no sábado no almoço)
  • Bisteca à Fiorentina, como só se come em Florença: Due Cuochi (chegue antes das 20 hs pois reservas são impossíveis).
  • Sorvete de pistache: Vipiteno, do lado do Due Cuochi
  • Lula com molho de balsâmico no Manacá, no Camburi. Peça uma caipirinha de pitanga com cachaça, pra acompanhar.
  • Figueira Rubayat (num dia de sol): peça um copo de água San Pelegrino com gelo e limão e fique olhando o movimento, que a comida mesmo é uma bosta (bosta cara).
  • Pra fechar. Se você estiver no litoral norte, num dia ensolarado, vá até o Camburi, suba o morro e se sente numa mesa na varanda do restaurante Acqua. Pegue uma mesa na sombra. De lá você verá o mar azul do Camburi, de um lado, e do outro a praia da Baleia. Peça qualque merda (o restaurante não é lá grande coisa) e encha a cara curtindo a vista mais linda do litoral paulista.

É isso aí. Se eu lembrar de mais algum lugar fora de série eu posto pra vocês. Troco por outras dicas do mesmo calibre, que publicarei em novas versões deste post.

Anúncios

6 comentários em “Comer bem é muito relativo (I)”

  1. Grande Augusto!
    Queria ter seu DNA, para mandar ver somente nos fins de semana e ter essa forma impressionante!
    Parabéns pela lista. Essa sim é válida.
    Grande abraço. Manduca.

  2. Augusto, vc arrasou com a sua lista! Hj almoçei no Due Cuochi, e comi a Bisteca à Fiorentina, realmente só se come igual em Florença.
    A cavaquinha do Antiquarius, tbm mil!!
    E o Figueira, que pena, né?
    Adorei!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s